O papa Francisco enviou uma carta para o padre jesuíta americano James Martin para agradecê-lo por seu trabalho pastoral com a comunidade LGBTQIA+, por ocasião do webinar “Outreach 2021”, realizado em apoio à causa.


“Deus se aproxima com amor de cada um de seus filhos, de cada um e de todos eles. Seu coração está aberto a todos e a cada um deles. Ele é Pai”, diz o Pontífice no texto em espanhol.“O ‘estilo’ de Deus tem três traços: proximidade, compaixão e ternura. Esta é a maneira como Ele se aproxima de cada um de nós”, escreveu o Papa, ressaltando que Martin “tenta imitar este estilo de Deus”.  

 “Você é um sacerdote para todos e todas, como Deus é Pai de todos e todas. Rezo por você para que possa continuar assim, estando próximo, compassivo e com muita ternura”, acrescentou o líder da Igreja Católica.

Martin é duramente criticado pela ala mais conservadora da Igreja, assim como Francisco. A mensagem do Papa é uma forma de distanciar as recentes controvérsias dentro do Vaticano em relação à comunidade LGBTQIA+.

“Rezo por seus fiéis, seus ‘paroquianos’, todos aqueles que o Senhor colocou ao seu lado para que você possa cuidar deles, protegê-los e fazê-los crescer no amor de nosso Senhor Jesus Cristo”, concluiu o Papa.

Nos últimos dias, o Vaticano virou alvo de críticas na Itália após ter enviado uma nota verbal à embaixada italiana na Santa Sé pedindo alterações na “Lei Zan”, texto aprovado pela Câmara e que tramita no Senado para equiparar a homofobia e a transfobia ao racismo e à discriminação religiosa no Código Penal.

O argumento usado pelos religiosos é que a lei viola um acordo bilateral de 1984 e compromete a liberdade da Igreja Católica de desempenhar sua “missão pastoral, educativa e de caridade, evangelização e santificação”. Além disso, a Santa Sé teme que padres possam ser punidos por expressar opiniões sobre homossexuais.

O papa Francisco, por sua vez, não se pronunciou diretamente sobre o caso, mas aproveitou o Angelus deste domingo (27) para pedir que os fiéis “parem de julgar os outros” e busquem amar mais o próximo. Ele ainda questionou sobre qual seria “a maior doença” da vida atual e ressaltou que “é a falta de amor”.

Terra Brasil Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s